domingo, 10 de fevereiro de 2008

Navegando pela rota de Porto Alegre a Genebra com escala em Laguna

Jacqueline Bulos Aisenmann, na residência do Embaixador Celso Lafer, então representante do Brasil junto à ONU, quando da recepção ao Presidente (na época) Fernando Henrique Cardoso.
Feitas as apresentações pelo confrade Agilmar Machado na postagem anterior, registro aqui a gentil acolhida do nosso blog de parte de Jacqueline Bulos Aisenmann, a qual vem de motivar intensa troca de mensagens e recomendações mútuas de acesso, tanto a Coracional (procure conhecer na barra direita ao lado), o jornal eletrônico que divulga a memória da cidade de Laguna-SC e que é editado por essa nossa e mais recente aquisição virtual, como também a Caros Ouvintes e Poeta das Águas Doces, que passam a ser conhecidos a partir de Genebra, na Suiça.
Objetivos idênticos, Coracional é um líbelo de saudade e amor à terra natal de Jacqueline e seu esposo, Paulo Roberto, a histórica e tradicional urbe que viu nascer Anita Garibaldi; já o nosso Poeta das Águas Doces procura resgatar a vivência nostálgica desse gaudério desgarrado do seu rincão, há muito considerado como Cidade Heróica.
Laguna está ali à beira do mar, esbanjando as suas belezas naturais e lindíssimas praias, atraindo turistas dos mais variados recantos, muitos deles cruzando a Ponte Internacional Mauá, obra de arte que orgulha e une dois povos irmãos - Brasil e Uruguai, em direção ao litoral catarinense.
Laguna e Jaguarão, separadas por algumas centenas de quilômetros, tem em comum a sua origem no povoamento da gente portuguesa e açoriana e a sua memorável participação na Revolução Farroupilha, hábitos primitivamente arraigados na passagem dos tropeiros de mulas que expandiram as fronteiras do nosso país a partir daquele ponto limítrofe determinado pelo Tratado de Tordesilhas para chegarem até Colônia do Sacramento, portanto, guerreiras por natureza.
E quem se acostumar na observação do patrimônio arquitetônico dessas duas cidades, deverá ainda notar a afinidade de gostos artísticos, refletidos no estilo clássico de suas casas antigas.
A partir deste momento, a nossa ligação passa a ser mais elástica para que chegue num instante até Jacque e Paulo o nosso abraço gauchesco e brasileiro.

5 comentários:

Agilmar disse...

BONITO, MEU IRMÃO!!!
JÁ ESTÁS COM O CORAÇÃO EM JAGUARÃO, PoA, LAGUNA, FLORIPA E GENEBRA (SUIÇA)!
ALÉM DA SENSIBILIDADE, CORAÇÃO DE POETA TEM ASAS...
ABRAÇÃO,
Agilmar

Cabeda disse...

Um abraço, meu caro Souza.
Estás no caminho daquele simpático jornal de Cachoeira, o extinto "Comercinho", cuja leitura "era exigida até na Espanha"...

Fernando Rozano disse...

José Alberto, como sempre, à frente com tua sensibilidade. Estive em janeiro passado em Laguna, linda e fascinante, em especial o seu Centro Histórico. Fiz fotos de lá, mais como registro de um lugar que habita nossa história. Grande abraço.

Flash disse...

Menino,
que coisa mais linda, tche!

Jacqueline disse...

Muito obrigada por suas palavras. Que texto lindo, palavras sentidas uma a uma, saídas do coração diretamente para esta página, viajando continentes e atingindo aqui o profundo dos meus sentimentos.
Parabéns jornalista!
Abraços, Jacqueline